Palhaçada

a Lamartine Babo ( 1904 – 1963)

Tem palhaçada aqui
tem palhaçada acolá
tem palhaçada além
tem além dali
tem além de lá
 
Tem, tem palhaçada
espalhada pelo ar
nada melhor para se divertir
rir sorrir e gargalhar
 
Mas tem palhaçada
que não tá com nada não
e faz chorar em vez de rir
não vem lá do coração

É verdade! Tem palhaçada, de montão!

BIOGRAFIA INDICADA: VALENÇA, Soares Suetônio. Tra-lá-lá. Rio de Janeiro: Funarte. 1981.

CANÇÃO PARA INGLÊS VER – com o Lala (IMPERDÍVEL): https://www.letras.mus.br/lamartine-babo/374937/

86 COMPOSIÇÕES DO LALÁ – (inclusive os Hinos dos clubes do R.J). : https://www.ouvirmusica.com.br/lamartine-babo/

PAREI CONTIGO(Lamartine Babo) – Show de bossa! Com Lalá e Mário Reis, gravado em 1934, acompanhados pelos Diabos do Céu, num arranjo de São Pixinguinha: https://www.youtube.com/watch?v=aw-KHB8w3fI

Nada melhor para se divertir! Rir sorrir e gargalhar!

OBRAS PRIMAS:

Rancho Fundo (Ary Barroso e Lamartine Babo)Gravação original: Elisa Coelho 1931 – https://www.youtube.com/watch?v=2jHbR4ima2o

Rancho fundo (Ary Barroso e Lamartine Babo) com Chitãozinho e Xororó: https://www.youtube.com/watch?v=5-Rk9lTAHI8

Em RANCHO FUNDO, no menu ALMANAQUE QUALQUER NOTA : você acompanha a tragicômica história dessa música, e ouve diversas gravações, cada um com seu cada um.

Serra da Boa Esperança, esperança que encerra…

Serra da Boa Esperança (Lamartine Babo) com Chico Alves https://www.youtube.com/watch?v=JF0yS9_lH-M&list=RDJF0yS9_lH-M&start_radio=1

Serra da Boa Esperança (Lamartine Babo) com Gal Costa – https://www.youtube.com/watch?v=X-hWmnbU_1c

No post SERRA DA BOA ESPERANÇA, no menu QUALQUER NOTA, vai saber a triste e feliz história dessa composição, e ouvir diferentes gravações dessa obra prima.

“Nós, os poetas, erramos, porque rimamos, também, os nossos olhos nos olhos, de alguém que não vem”

Cantores do rádio (Braguinha, Lamartine Babo e Alberto Ribeiro) – Elis Regina, Rita Lee, Maria Bethania, Gal Costa, Fafá de Belém, Marina, Joyce, Zezé Motta, Joana, Quarteto em Cy: https://www.youtube.com/watch?v=prPXz-_L5og

Volte ao menu QUALQUER NOTA, (outra vez!) e, em CANTORES DO RÁDIO, tem a história dessa composição. Assista Carmen e Aurora Miranda interpretando – maravilha! – a marchinha, enorme sucesso gravado em 1936, no filme “Alô, Alô, Carnaval“. E, Chico Buarque, Maria Bethânia e Nara Leão em 1972, na trilha do filme “Quando o Carnaval Chegar“.

Joujoux et Balangandas (Lamartine Babo) com Mário Reis. https://www.youtube.com/watch?v=f0QsM2aCOcs

Joujoux et Balangandãs (Lamartine Babo) com João Gilberto e Rita Lee: https://www.youtube.com/watch?v=xXex1Iims_s

Rita Lee conta a história do seu lindo dueto com João Gilberto – https://www.youtube.com/watch?v=OvIGeNw0dtA

Cada um do seu jeito:

• Eu sonhei que tu estavas tão linda (Lamartine Babo e Francisco Matoso) com Erasmo Carlos: https://www.youtube.com/watch?v=CQzKaE7g1uY

• Eu sonhei que tu estavas tão linda (Lamartine Babo e Francisco Matoso) com Gal Costa e Francis Hime no piano : https://www.youtube.com/watch?v=OtSQPqFZGzs

• Eu sonhei que tu estavas tão linda com Carlos Galhardo: https://www.youtube.com/watch?v=5hHoRXzd8PI

• Eu sonhei que tu estavas tão linda (Lamartine Babo e Francisco Matoso) com João Gilberto: https://www.youtube.com/watch?v=QQgi3dVyQLk

• Eu sonhei que tu estavas tão linda (Lamartine Babo e Francisco Matoso) com Altemar Dutra; https://www.youtube.com/watch?v=J_F2X_8jB5E

Lalá por Mendez

Uma ocasião, em Lisboa, 1969, estava eu em companhia de Vinicius de Moraes, tocando um violãozinho, numa reunião, e o poeta sugeriu que cantássemos “Os Rouxinóis”, de Lamartine Babo, marcha de rancho composta para o Carnaval de 1958. Entre os presentes, o poeta português Alexandre o’Neill, que gostou imenso, mas, desconfiou que estávamos de brincadeira, pois aquilo mais lhe parecia música erudita (!). A letra, presumia ele, seria de Olegário Mariano, o poeta das cigarras! “Sem sonhos os rouxinóis se vêem a sós tristonhos/ E se consolam com as sutis cigarras/ Cigarras sutis cada qual mais feliz/ Pois cantam, cantam, cantam, depois se desencantam /Cantar até morrer é o seu infinito prazer”. Grande Lalá!

BIOGRAFIA de LAMARTINE BABO, ÍCONE DO CARNAVAL CARIOCA. Imperdível! https://www.youtube.com/watch?v=H_ropHOXz3E

AQUI, AS MÚSICAS DE CARNAVAL DO LALÁ – https://immub.org/album/carnaval-de-lamartine-babo

Quem foi que inventou o Brasil, foi seu Cabral, foi seu Cabral…

Os Rouxinóis – com Araci Cortes, em”Rosa de Ouro”, um dos discos mais lindos da música popular brasileira : https://www.youtube.com/watch?v=HUYTTAKVWHE:

Os rouxinóis, entre as flores, procuram seus amores…
… os rouxinóis foram buscar amor perfeito, e no canteiro já desfeito da amizade, só encontraram saudade.

A…E… I… O… U… parceria com Noël Rosa, Lalá canta: https://www.youtube.com/watch?v=kiaVC1bUa5Y

Hinos dos Clubes Cariocas. Depoimentos de artistas torcedores:

Na gravata o distintivo do América, seu time de coração.

Capítulo 1 (Globo Esporte): http://www.youtube.com/watch?v=ycpncLTxoIUwww.youtube.com/watch?v=ycpncLTxoIU

• Capítulo 2 (Globo Esporte): http://www.youtube.com/watch?v=NrlN1dm9tMI

e o balão ia subindo para o azul da imensidão….

Chegou a Hora da Fogueira (Lamartine Babo) – Carmen Miranda e Mario Reis: https://www.youtube.com/watch?v=qWAfrZCvgaU

Isso é lá com Santo Antonio (Lamartine Babo) – Carmen Miranda e Mario Reis: : https://www.youtube.com/watch?v=F816ZxDZY78

Isso é lá com Santo Antonio e Chegou a hora da fogueira: com Alfredo Del-Penho, Pedro Miranda e Pedro Paulo Malta: http://cadaumcomseucadaum.com.br/wp-admin/post.php?post=389&action=edit

LAMARTINE BABO, O REI DO CARNAVAL por ELIETE NEGREIROS Excelente artigo/resumo e com o Carnaval do Lalá! –  https://piaui.folha.uol.com.br/lamartine-babo-o-rei-do-carnaval/

Garotada atenção! É proibido soltar balão! Mas, é permitido, na imaginação.

SONGBOOKS & PARTITURAS:

www.superpartituras.com.br/lamartine-babo

… é um poeta de juízo/ é uma coisa louca/ pois só faz versos quando a lua vem saindo/ lá do céu da boca.

O Instituto Memória Musical Brasileira (IMMuB) é uma organização sem fins lucrativos sediada em Niterói – RJ que é voltada para a pesquisa, preservação e promoção da Música Popular Brasileira. Sua missão consiste em documentar, catalogar e divulgar o acervo musical brasileiro, passado e presente, através da manutenção e atualização de um banco de dados virtual. O resultado é um dos maiores arquivos online de informações, sons e imagens da discografia brasileira, disponível na internet para consultas gratuitas. Fundado em 2006, o IMMuB conseguiu mapear e catalogar mais de 82 mil discos produzidos no país. Isto equivale a aproximadamente 580mil fonogramas, reunindo mais de 91 mil compositores e intérpretes. Fruto de 25 anos de pesquisa, a catalogação abrange toda a história da música brasileira, desde a primeira gravação em 1902 até os lançamentos mais recentes. O acervo segue em constante expansão, recebendo centenas de discos, capas e músicas mensalmente. https://immub.org/p/o-instituto.

 BIBLIOGRAFIA:

OBS: Grande parte desse material não se encontra mais nas livrarias. Mas, contando com a sorte, pode ser encontrado nos sebos e/ou espalhados pela NET.

VALENÇA, Soares Suetônio. Tra-lá-lá. Rio de Janeiro: Funarte. 1981.

VIVACQUA, Renato. Música Popular Brasileira. Cantos e Encantos. São Paulo. João Scortezi Editora. 1992.

ALENCAR, Edigar de. Claridade e Sombra na Música do Povo. Rio de Janeiro. Livraria Francisco Alves Editora. 1984.

LISBOA JUNIOR, LUIZ AMÉRICO. 81 Temas da Música Popular Brasileira.Itabuna: Agora Editoria Gráfica Ltda, 2000.

SEVERIANO, Jairo. MELLO, Zuza Homem de. A Canção no tempo. 85 anos de  músicas  brasileiras. Vol 1. 1901-1957. São Paulo: Editora 34. 1997.

MARIZ, VASCO.A Canção Brasileira. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira. 1985.

PASSOS, Claribalte. Vultos e Temas da Música Brasileira. Rio de Janeiro: Paralelo. 1972.

TINHORÃO, José Ramos.  Música popular, teatro e cinema. Petrópolis: Vozes, 1972.

TINHORÃO, José Ramos. Pequena história da música popular, São Paulo: Art  1991.

ANDRADE, Mario de. Aspectos da Música Brasileira. São Paulo:  Livraria Martins Editora. 1965.

DIDIER, Carlos. Nássara – passado a limpo. Rio de Janeiro: Editora José Olympio. 2010.

SANTA CRUZ, Maria Aúrea. A Musa sem máscara. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1992.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil Brasileirinho. Rio de Janeiro: Editora Catedra. 1982.

MARTINS, J.B.Antropologia da Música Brasileira. São Paulo: Editora Obelisco. 1978.

BELTRÃO JR, Synval. A musa mulher na canção brasileira. São Paulo: Estação Liberdade. 1993.

CALDAS, Waldenyr. Iniciação à Música Popular Brasileira. São Paulo:  Editora Atica. 1989.

CABRAL, Sergio. A MPB na era do rádio. Rio de Janeiro: Editora Moderna. 1996.

CABRAL, Sérgio. Escolas de Samba do Rio de Janeiro.Rio de Janeiro: Lazuli Editora. 2011.

BARBOSA, Valdinha. DEVOS, Anne Marie. Radames Gnattali. O Eterno Experimentador. Rio de Janeiro: Funarte. 1985.

TINHORÃO, José Ramos. Teatro & Cinema. Petrópolis: Editora Vozes. 1972.

EFEGÊ, Jota. Figuras e Coisas da Música Popular Brasileira. Volume1. Rio de Janeiro: Funarte. 1978.

EFEGÊ, Jota. Figuras e Coisas da Música Popular Brasileira. Volume 2. Rio de Janeiro: Funarte. 1980.

COLEÇÃO HISTÓRIA DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA, em duas versões – a primeira (1970/72) e a terceira (1982/84). Produzida e lançada pela Abril Cultural, um ramo da Editora Abril, composta por fascículos contendo parte editorial, com textos críticos e biográficos, e fonográfica, com disco de canções do focalizado, com os intérpretes mais expressivos, e muitas vezes com gravações feitas especialmente para a Coleção.  Aqui, uma análise dos dados coletados nos fascículos da Coleção História da Música Popular Brasileira e a demonstração de sua confluência com a indústria fonográfica, por Vanessa Pironato Milani: http://www.congressohistoriajatai.org/anais2014/Link%20(264).pdf

MPB COMPOSITORES – Você e a MPB. Contém biografias, fotos, discografias e CDs. 41 CDs e 40 fascículos. Editora Globo.

OS GRANDES SAMBAS DA HISTÓRIA – Contém biografias, fotos, discografias e CDs. Editora Globo e BMG gravadora.

IMMUB – https://immub.org/compositor/lamartine-babo

DICIONÁRIO CRAVO ALBIN da MÚSICA POPULAR BRASILEIRA – http://dicionariompb.com.br/lamartine-babo

” Em sonhos, os rouxinóis se vêem assaz tristonhos, e se consolam com as sutis cigarras, cigarras sutis, cada qual mais feliz; pois, cantam, cantam, cantam, depois se desencantam: cantar até morrer é o seu infinito prazer” – Lamartine Babo (Os rouxinóis)

I love you, forget sclaine mine Itaperú.

por Edgard Poças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *